Homem que incendiou mulher em estação de trem é encontrado morto

Homem que incendiou mulher em estação de trem é encontrado morto

RJ: Homem que incendiou mulher em estação de trem é encontrado morto

Corpo estava nas proximidades da Baía de Guanabara; vítima segue internada em estado gravíssimo

O homem que colocou fogo na ex-mulher, na plataforma de uma estação de trem do Rio de Janeiro, foi encontrado morto na Baía de Guanabara. Ele cometeu suicídio após o crime, registrado na segunda-feira (8). Michelle Pinto da Silva, de 39 anos, segue internada em estado gravíssimo.

O crime foi cometido na estação Augusto Vasconcelos, na zona oeste da cidade. Após atear fogo na vítima, Edmilson Félix do Nascimento, de 44 anos, fugiu.

Ele é ex-marido de Michele e, segundo a família da vítima, o homem não aceitava o fim do relacionamento, ocorrido há dois meses. Há relatos de invasão à casa da ex, onde o homem teria quebrado móveis. Desde então, a vítima tinha uma medida protetiva contra ele.

Testemunhas afirmaram que Edmilson cometeu a violência após a ex deixar a filha do casal na casa da mãe dele. Depois, seguiu a mulher até a estação, onde foi registrado o ataque.

Michele foi socorrida ainda na plataforma e levada ao hospital Rocha Faria, em Campo Grande. Depois, transferida para o hospital Pedro II, em Santa Cruz, em estado gravíssimo.

Após o ataque, Edmilson mandou uma mensagem de áudio para amigos, como uma despedida. Ele agradeceu as “brincadeiras” e o que as pessoas fizeram por ele, mas que tinha feito uma besteira e que faria outra. O corpo do homem foi encontrado por um amigo, nas proximidades da ponte Rio-Niterói.

Procure ajuda

O Centro de Valorização da Vida (CVV) é um serviço voluntário gratuito de apoio emocional e de prevenção ao suicídio. Por meio do Disque 188, é possível conversar com pessoas capacitadas, de forma anônima e sigilosa, sobre aflições e pensamentos suicidas. Também é possível ter acesso aos especialistas do CVV por Chat, e-mail e em pontos físicos.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece ainda atendimento médico especializado nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) dos municípios.

Comentários Facebook

Compartilhe esta postagem